Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Mafra Tapada (Con)vento: era uma vez uma vila assombrada...

(desafio Sonhamos ir por aí! Vá para fora cá dentro... de casa!)

transferir.jpg

 

Era uma vez uma vila que, dizia-se, era assombrada.

Nas catacumbas do principal monumento histórico, rezava a lenda que as ratazanas, que por lá andavam, eram tão grandes, e famintas, que eram capazes de devorar pessoas, que tivessem o azar de por lá aparecer. E que até alguns militares já teriam servido de alimento, quando não lhes davam alimento...

À noite, são os morcegos que por lá vagueiam.

 

 

dbstr4-0e068f80-946a-4a49-a0f2-b5b7a2d08d9d.jpg

E aquele jardim?

Tão bonito, tão sossegado, tão tranquilo nos dias de sol... Mas, ao mesmo tempo, tão sombrio, tão isolado, tão assustador, nos dias cinzentos, ou quando a tarde dá lugar à noite.

 

Era uma vez uma vila histórica, cheia de lendas e mitos.

Devia o seu nome ao clima pouco agradável que lá se encontra, que levou alguém a apelidá-la de Má e Fria.

Mas também há um trocadilho que a caracteriza "Mafra Tapada (Con)vento".

 

 

21331827_EqzkM.jpeg

Por lá se defenderam territórios de batalhas e de exércitos que os queriam invadir e atacar.

Diz-se até que um rei fugiu da vila até ao porto da Ericeira, através de um túnel subterrâneo que ligaria ambas as vilas.

 

 

D'Magia: Opinião - O Memorial do Convento - José Saramago

Mas Mafra é, também, uma vila ligada à religiosidade. Por cá andou o Papa João XXI. E à literatura. Ou não constasse do Memorial do Convento, ou d'Os Maias.

 

 

21086239_7CQ55.jpeg

Tal como à natureza onde, no lugar que em tempos foi uma quinta, existe agora um parque onde se pode passear, fazer exercício e apreciar os animais.

 

 

21109078_beFdK.jpeg

Era uma vez uma vila onde existiam florestas encantadas, cascatas, riachos, campos de flores.

Onde se podia ver corujas, javalis e porcos-espinhos. Por vezes, raposas. E lobos...

Onde se podia ouvir os passarinhos, de manhã cedo, e os grilos, à noite.

 

 

21680985_hbp1m.jpeg

Era uma vez uma vila onde se comem os melhores bolos...

 

14190563_EdzCp.jpeg

E o melhor pão...

 

 

Descubra a Casa Museu Aldeia Típica de José Franco no Sobreiro, Mafra |  Aldeia, Casas, Museu

Onde se podem visitar diversos museus, como a Aldeia Típica José Franco.

 

 

13605681_w8ydC.jpeg

Dar um saltinho à reserva mundial de surf, a cerca de 10 km.

 

 

21901528_0brwP.jpeg

E onde podemos ver um magnífico pôr do sol, com o mar ao fundo. 

 

Diz-se que, quem vem a Mafra, fica cá preso para sempre...

Atrevem-se a correr o risco?!

 

 

Este texto foi especialmente criado no âmbito do desafio da Cristina.

 

 

 

Na rota do Memorial do Convento - vila de Mafra

IMG_20210209_083508 - Cópia.jpg

"Pela primeira vez em Portugal, um livro dá origem a uma rota cultural. Memorial do Convento renasce assim em forma de rota cultural e histórica, que é, simultaneamente, uma homenagem a José Saramago."

 

Do livro, para o local.

A rota do Memorial do Convento leva, a quem a quiser explorar, por diversos percursos, entre Lisboa, Loures e Mafra.

Na vila de Mafra, têm destaque o Palácio Nacional de Mafra e a Igreja de Santo André.

E foi, justamente no recinto a que apelidam de Miradouro da Vila Velha, em frente à Igreja de Santo André, que colocaram ontem este marco.

 

Se quiserem saber mais, podem seguir a rota em https://www.rotamemorialdoconvento.pt/.

 

Exposição de Presépios em Mafra

Já é Natal em Mafra!

Das árvores iluminadas, e toda a decoração das ruas, à música natalícia, do presépio à casinha do Pai Natal, do mercadinho ao carrocel e, este ano, com a novíssima Pista de Gelo que fará as delícias de todos, o Natal chegou à vila para ficar até ao dia 23 de dezembro.

 

 

Mas o destaque de hoje vai para a exposição de presépios, criados por várias escolas, associações e instituições do concelho, que poderá ser apreciada no Largo Coronel Brito Gorjão.

De qual gostam mais?!

 

IMG_7006.JPG

IMG_7007.JPG

IMG_7010.JPG

IMG_7013.JPG

IMG_7015.JPG

IMG_7017.JPG

IMG_7019.JPG

IMG_7022.JPG

IMG_7024.JPG

IMG_7026.JPG

IMG_7027.JPG

IMG_7028.JPG

IMG_7029.JPG

IMG_7023.JPG

IMG_7025.JPG

IMG_7020.JPG

IMG_7021.JPG

IMG_7014.JPG

IMG_7016.JPG

IMG_7018.JPG

IMG_7005.JPG

IMG_7008.JPG

IMG_7009.JPG

IMG_7012.JPG

 

 

 

 

 

Da minha caminhada de fim-de-semana

Imagem relacionada

 

No sábado tive que ir comprar umas coisas que me faziam falta e, como o tempo até estava bom, lá me fiz ao caminho, sabendo que me esperava uma grande caminhada pela frente.

Até ao hospital veterinário, passo por uma quinta, e por campos verdes que, a esta altura, estavam cheios de trevos, não sei se de quatro folhas!

Daí, sigo para o Modelo, passando a meio caminho por uma carroça com um burro atado a um poste, com um olhar tão triste que me apeteceu ir fazer-lhe umas festinhas. No entanto, não o conhecendo, abstive-me de tais demonstrações de afecto.

Continuo a caminhar e, mais à frente, avisto as vacas castanhas a pastar de um lado, e as ovelhas no outro. Mais perto, reparo que um carneirinho está a mamar. Também andam por ali patos e galinhas!

Já na estrada do Modelo, ao passar por uma moradia, aparece um cão a ladrar, a defender o seu território. Quando passo pela mesma, à vinda, lá está o dito cão. Desta vez, limita-se a correr até lá mais à frente, acompanhando-me sempre enquanto falo com ele, até que a vedação o limita e, então aí, ladra novamente.

Volto para casa por outro caminho, onde acabo por avistar um gato, também num terreno bravio, no meio de blocos de apartamentos e casas velhas.

Mafra está cada vez mais desenvolvida, mas é incrível como ainda encontramos tanto da vila campestre que um dia foi.

Duas horas depois, e com quase uma volta completa à vila, cheguei a casa! Pelo menos deu para aquecer um bocadinho!

 

De repente, todos se lembraram de vir para aqui

Resultado de imagem para igreja de santo andré mafra

 

Moro na zona velha da vila de Mafra, onde o sossego ainda é uma realidade. 

Pelo caminho, temos um parque infantil, onde cheguei a ir muitas vezes com a minha filha, ficando mais tarde abandonado às moscas. Só iam para lá meia dúzia de gatos pingados, a maioria sem idade sequer para lá andar. Muitos pais deixaram de lavar os filhos porque o parque servia também de casa-de-banho para alguns cães.

 

Já na Igreja de Santo André, quando por lá víamos alguém, pensávamos logo "boa coisa não é". Suspeitávamos de drogados, delinquentes e afins. Uma vez por outra lá vinham alguns jovens até ao palco onde costumam fazer as festas, mas quase sempre figuras de aspecto duvidoso.

 

Ainda assim, sendo raro, era um sossego passar ali naquelas ruas, numa zona quase esquecida e abandonada, que nada tem de interessante para ver.

 

No entanto, nestes últimos tempos, não sei se devido ao facto de a Universidade de Valores se situar nesta zona, e ter dado uma nova vida ao Palácio dos Marqueses, parece que esta parte da vila virou moda!

Todos os dias vejo malta do ciclo no parque, a andar de baloiço! Até as colegas da minha filha já ganharam esse gosto.

E na igreja, vejo frequentemente vários grupos, rapazes e raparigas, ora a apreciar a vista, ora a namorar ou até a jogar à bola.

A isso se deve também o facto de ficar relativamente perto da escola, e de aproveitarem os furos e horas sem aulas para dar uma voltinha.

 

Mas que é estranho, é!

E eu preferia os tempos em que tudo era mais calminho :)