Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Terror na Maternidade, de Rosana Antonio

 

O novo livro de Rosana Antonio, "Terror na Maternidade", será apresentado no próximo dia 3 de junho, sexta-feira, às 19.30h, na Asociação Meleca, situada no Largo de Santa Marta, Parque de Santa Marta, loja 03, na Ericeira.

 

"Terror na Maternidade relata experiências por quais nenhuma mãe deveria passar.

Uma série de histórias verídicas, que a autora recolheu e selecionou através de testemunhos de mulheres que sofreram maus-tratos na hora do parto.
Várias denúncias, casos mal-resolvidos, tragédias e revoltas, numa obra literária densa, que convida-nos a vestir a pele dessas mulheres que, por estas páginas, lamentam terem tido um momento tão sublime de suas vidas destruído pela falta de competência e humanidade de alguns profissionais(?) de saúde de hospitais e maternidades portuguesas."

 

Alguém por aí já passou por uma experiência deste género?

 

Deixo-vos aqui olink de uma entrevista que a autora deu, onde fala sobre esta obra e a temática que lhe deu vida:

https://www.youtube.com/watch?v=bJx_Xif_gPo&feature=youtu.be

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 2 comentários

  • Imagem de perfil

    marta-omeucanto 24.05.2016 17:01

    A minha experiência não foi aterrorizadora, mas também não foi das melhores. Começou logo com a implicância da parteira, porque eu estava cheia de dores e o pai da minha filha tocou vezes sem conta à campainha, até ela aparecer. A partir daí, foi sempre a ouvir bocas dela para as colegas "ah, é de Mafra, vê-se logo" e coisas do género. E depois, para mim, enquanto vestia a bata que me arranjaram "despache-se que não temos o dia todo" e"escusa de estar para aí a gritar que a criança não nasce mais depressa por isso". Tive que aguentar isto sozinha, cheia de dores, enquanto o meu marido tinha voltado a casa para ir buscar as malas.
    Também me deparei com uma enfermeira, no primeiro dia em que íamos dar banho aos nossos filhotes, que era mesmo bruta.
    O que vale é que foram só dois dias, e não tenho nada a apontar ao resto do pessoal.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.