Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

"Um Conto Perfeito", na Netflix

8744ef2380f87b7452633be204fa36bb0535a293.jpg 

 

Baseada no livro de Elisabet Benavent, esta série mostra-nos que nem sempre a perfeição é o melhor caminho ou, como, por vezes, são as imperfeições, as pessoas "imperfeitas", e os planos imperfeitos que tornam os momentos, as pessoas e as vidas, perfeitas para nós.

Esquecendo a perfeição, o nosso par ideal é aquele que nos traz alegria e leveza, aquele que nos aceita como somos, o que caminha ao nosso lado. Se tivermos que nos esforçar para o acompanhar, para estar ao seu nível, se nos sentirmos pressionados, sufocados, desvalorizados, então dificilmente será um bom parceiro.

A paixão e o amor são algo que se sente, e se oferece naturalmente. São sentimentos de dádiva, reciprocidade, não um favor ou uma "esmola" pela qual devemos ficar eternamente agradecidos, como se não merecessemos mas, ainda assim, nos dessem na mesma. Como se fosse uma sorte, algo que ninguém acreditava possível de acontecer.

 

Margot fugiu do seu casamento com Fillipo que, supostamente, era o seu "par ideal": bonito, bem sucedido, romântico. Só que, lá está, Margot vivia condicionada na sua relação, por querer corresponder ao que esperavam dela. Por querer "crescer" para chegar ao patamar do noivo. Por não querer desiludir ninguém, ainda que ela própria não fosse exactamente feliz.

David viu o seu relacionamento com Idoia terminar porque, tecnicamente, ele não pensava no futuro e, lá está, também não correspondia às suas expectativas. Não seguia a moda, não tinha um bom emprego, não tinha nada a oferecer.

Por coincidência, ou talvez não, Margot e David acabam por se conhecer, e decidem ajudar-se mutuamente para recuperar as suas relações.

Só que, como seria de esperar, acabam por se apaixonar um pelo outro. São a peça que encaixa no outro. São felizes. 

O problema é que Margot é herdeira de um império hoteleiro. E David, um rapaz com três trabalhos que dorme do sofá do amigo.

Que futuro os esperaria?

Como poderiam eles, viver "um conto perfeito"?

 

Uma minissérie de 5 episódios que vai melhorando à medida que os vamos vendo, e que quase nos mata no último!

Para além disso, vale a pena ver, pelas magníficas paisagens que nos mostra, ao longo das férias de ambos na Grécia - Atenas, Santorini, Ios, e Mykonos.